G1 > Amapá

    Voluntários fazem 'vaquinha' e doam 400 kg de pescado a famílias carentes na Semana Santa

    Voluntários fazem 'vaquinha' e doam 400 kg de pescado a famílias carentes na Semana Santa


    Projeto social idealizado por autônomo mobilizou 15 pessoas que economizaram durante um ano para deixar mais feliz o feriadão de moradores da periferia de Macapá. Distribuição de peixe formou fila na periferia de Macapá Rede...


    Projeto social idealizado por autônomo mobilizou 15 pessoas que economizaram durante um ano para deixar mais feliz o feriadão de moradores da periferia de Macapá. Distribuição de peixe formou fila na periferia de Macapá Rede Amazônica/Reprodução Mesmo sem emprego fixo e atuando com bicos em serviços de limpeza, o autônomo Paulo Vinagre, de 45 anos, ainda arrumou espaço para a solidariedade. Ele mobilizou um grupo com 15 familiares e arrecadou recursos para fazer mais feliz a Sexta-feira Santa de famílias carentes da periferia de Macapá. Na tarde de quinta-feira (18), mais de 400 quilos de pescado foram doados a moradores dos bairros Perpétuo Socorro, na Zona Leste, e Congós, na Zona Sul. A iniciativa acontece pelo segundo ano consecutivo e é um sonho antigo de Vinagre, que diz ter a fé e a boa vontade como motivação. "Sempre sonhei em fazer algo em prol da comunidade. Ninguém constrói nada sozinho, conto com o apoio de toda minha família. Juntamos o pouco dinheiro que sobra para poder ajudar quem realmente precisa, especialmente nessa época de fortalecimento dos valores cristãos", lembrou. Paulo Vinagre, fundador do projeto social que leva o seu nome Ugor Feio/G1 Paulo acrescentou que é católico e a religião o motivou a realização do projeto, além de ser motivo de alegria e satisfação pessoal. O autônomo acredita que a data é momento de celebração e pode ser compartilhada com outras pessoas que não têm condições. A dona de casa, Celina Sena, de 24 anos, é moradora do bairro Perpétuo Socorro e foi beneficiada na ação pela segunda vez. Ela frisa que se não fosse a doação, não teria como comprar o produto para esta Sexta-Feira Santa (19). Celina mora com outras cinco pessoas em casa. "É bom demais isso aqui! Já é a segunda vez que recebemos doações deles. Se eu fosse na feira ia gastar pelo menos uns R$ 30 de peixe para essa Sexta. Esse dinheiro ia fazer muita falta em nosso orçamento. Essa doação é de grande ajuda", disse Celina. Celina Sena, dona de casa que participou da doação de peixes no Perpétuo Socorro Ugor Feio/G1 A organização do projeto explica que as doações se estendem a outras datas comemorativas como Dias das Mães e Dia das Crianças. Paulo detalha que os peixes escolhidos para a distribuição foram as espécies piranambu e mapará, por conta do custo benefício. "Escolhemos esses peixes pela vantagem do preço, eles são mais baratos e assim mais pessoas são beneficiadas. Comer peixe na Sexta-Feira Santa é uma tradição importante, mas muitas pessoas não podem custear isso, especialmente nessa época que o produto encarece", explicou Vinagre. Claudineia Mendes é moradora do bairro Perpétuo Socorro e também recebeu a doação Ugor Feio/G1 Para a técnica em enfermagem, Claudineia Mendes, de 38 anos, o pescado doado foi a "bênção da Semana Santa". A moradora se mostrou empolgada com a doação, que será usada para complementar a refeição das quatro pessoas da família durante o feriadão. "Peguei três maparás que já estão guardados na geladeira. Vou limpar para assar e comer na companhia de toda minha família. Nós adoramos participar dessas ações, é uma felicidade só", contou, animada. Comunidades carentes foram beneficiadas na Semana Santa Rafaella Bitencourt/Rede Amazônica Voluntários do 'Projeto Social Paulo Vinagre' doaram cerca 400 quilos de peixes Rafaella Bitencourt/Rede Amazônica Alguns dos 15 voluntários que participam do Projeto Social Ugor Feio/G1 Para ler mais notícias do estado, acesse o G1 Amapá.
    AP dobra área para atividade econômica sem exigência de estudo de impacto ambiental

    AP dobra área para atividade econômica sem exigência de estudo de impacto ambiental


    Produtores do estado poderão explorar economicamente território de até 1.100 campos de futebol sem necessidade de apresentar EIA/Rima do terreno afetado. Mesmo sem EIA/Rima áreas continuam devendo seguir normas...


    Produtores do estado poderão explorar economicamente território de até 1.100 campos de futebol sem necessidade de apresentar EIA/Rima do terreno afetado. Mesmo sem EIA/Rima áreas continuam devendo seguir normas ambientais EPTV/Reprodução Pequenos e médios produtores rurais que investem ou pretendem investir no Amapá poderão reduzir, a partir de agora, os gastos para a implantação de atividades econômicas. Uma decisão da Justiça Federal concedeu ao Estado a determinação para dobrar o tamanho da área onde deixam de serem exigidos o Estudo e o Relatório de Impacto Ambiental (EIA/Rima). Com a decisão, a área que não necessita mais de apresentação do EIA/Rima aos órgãos de controle, aumenta de 500 para 1.000 hectares, território equivalente a cerca de 1.100 campos de futebol. A falta de exigência não isenta o produtor de manter e seguir as normas de manejo e ambientais. O benefício com a mudança, segundo o governo, é o alto custo para produção do estudo e do relatório, que variam entre R$ 80 mil e R$ 100 mil. O EIA/Rima é previsto por lei e é um diagnóstico ambiental de toda a área que passará a ser influenciada pela atividade econômica. O estudo e o impacto detalham informações sobre os meios físicos, biológicos e ecossistema, identificando predominância de água, fauna, flora e como elas serão afetadas pela atividade econômica. Prevê também um plano de ação em caso de danos ambientais. Foco da medida no Amapá foi estimular o setor primário com menos burocracia John Pacheco/G1 A decisão da Justiça Federal foi motivada por uma ação do Instituto de Meio Ambiente e Ordenamento Territorial do Amapá (Imap), órgão estadual que atua no licenciamento e na fiscalização da ocupação do solo, atendendo as normas previstas na legislação. Para o diretor-presidente do Imap, Julhiano Avelar, a medida pode beneficiar pequenos e médios produtores que poderão ter menos burocracia e mais economia para atuação nas mais diversas áreas, como agricultura, pecuária, piscicultura e construção civil. "Essa definição torna mais fácil, mais barato, o desenvolvimento do setor primário no Amapá. O EIA/Rima é caro, então o cidadão que tem uma fazenda de 500, 600 hectares, ele não ia conseguir fazer um investimento de máquina, plantação e ainda custear esse estudo, que gira em torno de 100 mil reais", argumentou Avelar. Julhiano Avelar, diretor-presidente do Instituto de Meio Ambiente do Amapá Rede Amazônica/Reprodução A definição de 1.000 hectares para exigência do EIA/Rima é definida em lei federal, mas no Amapá, desde 2006, foi reduzida para 500 hectares pelo Conselho Estadual de Meio Ambiente (Coema), que reúne instituições públicas, ONGs e associações ligadas à preservação. "Pode fazer a exploração comercial respeitando as leis ambientais, a legislação. Vai poder plantar, fazer manejo florestal, explorar a terra dele sem a apresentação. Isso vai fomentar a atividade econômica, o emprego, a renda, do pequeno e médio produtor. No caso dos grandes produtores, eles podem pagar o EIA/Rima", completou Avelar. Para ler mais notícias do estado, acesse o G1 Amapá.
    Servidores do Samu no Amapá apontam déficit de profissionais e exigem contratações

    Servidores do Samu no Amapá apontam déficit de profissionais e exigem contratações


    Categoria reclama de sobrecarga. Secretaria de Saúde descarta aumentar efetivo e prevê reordenamento de pessoal e carga horária. Samu atua com ambulâncias, médicos e socorristas para casos de emergência John Pacheco/G1 Destinado para dar mais...


    Categoria reclama de sobrecarga. Secretaria de Saúde descarta aumentar efetivo e prevê reordenamento de pessoal e carga horária. Samu atua com ambulâncias, médicos e socorristas para casos de emergência John Pacheco/G1 Destinado para dar mais rapidez ao atendimento de emergência e evitar mortes antes do socorro médico, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) está limitado no Amapá. Reclamações de trabalhadores, como médicos, enfermeiros, rádio operadores e técnicos, apontam a falta de efetivo e a sobrecarga dos profissionais que já atuam. A categoria relata um déficit de vagas em todas as áreas e diz que o necessário para oferecer o serviço na totalidade seria, no mínimo, o dobro do número atual de trabalhadores, que são cerca de 30. Entre as irregularidades apontadas, o presidente da Associação do Samu no estado, Cleiser Ruan Souza, detalha que profissionais, como os rádio operadores, trabalham o dobro da escala permitida. Ele também reclama da falta de médicos, cobrando pelo menos cinco profissionais, onde atualmente atuam três. A quantidade estaria em desacordo com normas do Ministério da Saúde. "Melhorar o sistema. Mais médicos, mais técnicos, atendentes, radio operadores, administrativo. Reivindicamos em todas as áreas, temos três médicos ao invés de cinco. Um rádio operador a cada 12 horas, sendo que ele trabalha seis e só um farmacêutico", criticou Souza. Cleiser Ruan Souza, presidente da Associação do Samu Rede Amazônica/Reprodução A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) explicou que pretende fazer um reordenamento nas funções e atuações dentro do Samu, mas descarta a contratação inicial de novos trabalhadores antes de uma avaliação aprofundada do contingente do serviço. "Nos solicitam uma adequação, mas o quantitativo hoje atende a demanda. Os rádio operadores cumprem uma escala de 12 horas em função de acordo com a administração do Samu, mas nada que possa ser redimensionado", explicou Clélia Gondim, secretária adjunta de Gestão e Planejamento da Sesa. Clélia Gondim, secretária adjunta de Gestão e Planejamento da Sesa Rede Amazônica/Reprodução A falta de resposta sobre aumento do efetivo preocupa a categoria, que teme a paralisação das atividades em função da sobrecarga. "Não questionamos aumento de salário, queremos pessoal para trabalhar, que a Sesa mande. Estamos avisando a população que o Samu está com problemas. Queremos melhorias, mas que traga gente para cá. Era para ter o dobro de gente trabalhando aqui", reitera Souza. Para ler mais notícias do estado, acesse o G1 Amapá.
    VÍDEOS: JAP2 de quinta-feira, 18 de abril

    VÍDEOS: JAP2 de quinta-feira, 18 de abril


    Assista aos vídeos do telejornal com as notícias do Amapá. Assista aos vídeos do telejornal com as notícias do...


    Assista aos vídeos do telejornal com as notícias do Amapá. Assista aos vídeos do telejornal com as notícias do Amapá.
    Espetáculo em Macapá vai contar a história de Jesus Cristo do ponto de vista de seis mulheres

    Espetáculo em Macapá vai contar a história de Jesus Cristo do ponto de vista de seis mulheres


    'Cristo Por Elas' será apresentado no sábado (20), no Barracão da Tia Gertrudes. Apresentação da peça teatral 'Cristo por Elas' Desclassificáveis/Divulgação O espetáculo teatral "Cristo por Elas" será uma opção cultural para o sábado...


    'Cristo Por Elas' será apresentado no sábado (20), no Barracão da Tia Gertrudes. Apresentação da peça teatral 'Cristo por Elas' Desclassificáveis/Divulgação O espetáculo teatral "Cristo por Elas" será uma opção cultural para o sábado (20) em Macapá. A apresentação durante a Semana Santa acontece às 19h30, na Zona Sul da capital. A peça conta a história de Jesus Cristo do ponto de vista de seis mulheres que cruzaram o caminho do filho de Deus. Paulo Alfaia, diretor da peça, explica que o objetivo é justamente dar voz ao feminino que, segundo ele, pouco é citado na tradição bíblica. "Percebemos dentro do processo histórico que comumente a história da morte e ressurreição de Cristo é narrada por uma versão masculina. Fizemos uma releitura de evangelhos e a partir desse estudo damos voz a essas mulheres que possivelmente tiveram algum encontro com Cristo", explicou Alfaia. A história conta com a participação de Maria (mãe de Jesus), Ostera (deusa da fertilidade), Marta e Maria Betânia (irmãs de Lázaro), Samaritana e Maria Madalena. Além de celebrar o Sábado Santo, o evento também marca o início do Ciclo do Marabaixo, tradicional festa da cultura marabaixeira do Amapá (veja a programação aqui). Apresentada há oito anos pela companhia teatral Desclassificáveis, a peça já foi vista em diferentes locais da capital, como Abrigo São José, Núcleo de Medida Socioeducativa de Internação Masculina (Cesein) e Área de Proteção Ambiental (APA) do distrito de Fazendinha. Serviço Espetáculo teatral "Cristo Por Elas" Data: 20 de abril (sábado) Hora: 19h30 Local: Barracão Tia Gertrudes (Avenida Duque de Caxias, 1203, Santa Rita, Macapá) Entrada gratuita História conta com relatos de seis mulheres sobre encontro com Jesus Cristo Desclassificáveis/Divulgação Para ler mais notícias do estado, acesse o G1 Amapá.
    Sem acordo entre prefeitura e governo do AP, creches entregues há cinco anos seguem fechadas

    Sem acordo entre prefeitura e governo do AP, creches entregues há cinco anos seguem fechadas


    Unidades estão nos bairros Renascer e Novo Horizonte, na Zona Norte de Macapá. Prédio no bairro Novo Horizonte deveria funcionar como creche mas está inativo Victor Vidigal/G1 O acesso ao ensino infantil em Macapá, que apresenta os menores...


    Unidades estão nos bairros Renascer e Novo Horizonte, na Zona Norte de Macapá. Prédio no bairro Novo Horizonte deveria funcionar como creche mas está inativo Victor Vidigal/G1 O acesso ao ensino infantil em Macapá, que apresenta os menores índices do país, é justificado pela falta de creches. Atualmente, a capital tem apenas uma em funcionamento na rede pública e 29 mil crianças à espera de vagas. A situação poderia ser amenizada com a abertura e funcionamento de dois prédios construídos há cinco anos, mas que jamais abriram as portas. Os locais ficam nos bairros Novo Horizonte e Renascer, na Zona Norte, muito distantes da única creche em funcionamento na capital, a Tia Chiquinha, localizada na Zona Sul. A abertura num prazo próximo não é esperada por moradores do entorno dos prédios. Muitos deles disseram que os filhos cresceram e os prédios não abriram. Para funcionarem, depende de um acordo, ainda não firmado, entre o Governo do Amapá, construtor dos prédios, e a Prefeitura de Macapá, responsável por gerenciar e ofertar o ensino às crianças. O tempo segue passando e as secretarias municipal e estadual de educação continuam sem apresentar um prazo de inauguração. As tratativas para inauguração dos locais ocorrem há pelo menos dois anos e mesmo com a interferência do Ministério Público não andaram. As creches estão prontas, pintadas e muradas, mas sofrem com a ação do tempo. Vigilantes ficam no local e o trabalho de capina está sendo feito, no entanto, ainda é possível observar, em alguns pontos, janelas quebradas, forro caído, parte elétrica à mostra e ninhos de insetos. Trabalhadores fazem a capina do terreno repleto de mato alto Victor Vidigal/G1 As construções custaram quase R$ 2 milhões de reais aos cofres públicos, dinheiro oriundo do Governo Federal. Mesmo sendo o executor da obra, o Estado deve transferir a administração para a prefeitura, responsável pela educação do ensino infantil. Em nota, a Secretaria Municipal de Educação (Semed) explicou que os prédios são de responsabilidade do Governo do Amapá e espera que um acordo feito junto com o Ministério Público Estadual (MP-AP) seja cumprido antes de assumir a gestão dos locais. "As tratativas pactuadas junto ao MP estabeleciam que o governo iria realizar obras de revitalização nos prédios para posteriormente fazer a transferência dos prédios para o município. No entanto, até o momento, a Semed não recebeu nenhum posicionamento a respeito", diz a nota. O governo estadual foi procurado, mas não se manifestou até a última atualização desta reportagem. A cobrança sobre a inauguração das unidades se arrasta desde 2015. Os prédios deveriam atender, ao todo, 500 crianças de 0 a 3 anos. Comerciante Nelson Brito Ferreira Victor Vidigal/G1 Para o comerciante Nelson Brito Ferreira, de 54 anos, que há duas décadas mora no bairro Novo Horizonte, a situação representa o descaso com o dinheiro público. "Isso é o dinheiro público está se acabando. Eles tornam a retomar os cuidados e os vândalos tornam a depredar. Para a comunidade seria o ideal inaugurar, até porque fizeram. Se fizeram é para inaugurar. Deveria ser um benefício da comunidade, mas não é o que acontece", disse Brito. Os anos passam e quem é vizinho das obras já não tem tanta esperança em ver as instituições em pleno funcionamento. É o que comenta o empreendedor Dylan Augusto, de 39 anos, que tem um comércio bem em frente a creche do bairro Renascer. "Minha filha tem seis anos e não viu nem o 'cheiro' dessa creche. Tive que colocar ela numa escola mais longe de casa, porque a daqui de frente de casa só fica na promessa de inaugurar", contou, indignado. Janela quebrada em prédio que deveria ser creche no bairro Renascer Victor Vidigal/G1 Para ler mais notícias do estado, acesse o G1 Amapá.
    VÍDEOS: JAP1 de quinta-feira, 18 de abril

    VÍDEOS: JAP1 de quinta-feira, 18 de abril


    Assista aos vídeos do telejornal com as notícias do Amapá. Assista aos vídeos do telejornal com as notícias do...


    Assista aos vídeos do telejornal com as notícias do Amapá. Assista aos vídeos do telejornal com as notícias do Amapá.
    Confira a programação dos cinemas de Macapá de 18 a 24 de abril

    Confira a programação dos cinemas de Macapá de 18 a 24 de abril


    'A Maldição da Chorona', 'Cópias - De Volta a Vida' e 'O Mau Exemplo de Cameron Post' são algumas das estreias. Veja sessões e preços. Cena do filme 'A Maldição da Chorona' Reprodução Assistir a filmes pode ser uma boa opção de lazer para...


    'A Maldição da Chorona', 'Cópias - De Volta a Vida' e 'O Mau Exemplo de Cameron Post' são algumas das estreias. Veja sessões e preços. Cena do filme 'A Maldição da Chorona' Reprodução Assistir a filmes pode ser uma boa opção de lazer para reunir a família e os amigos. Pensando nisso, o G1 fez uma agenda com as programações dos três cinemas de Macapá para esta semana. Mesmo com os feriados da Sexta-Feira Santa (19) e Tiradentes (21), as redes de cinema da capital não terão alterações nos horários das sessões. Confira quais são os filmes, os horários das sessões e os preços dos ingressos: Cena de 'Jesus de Nazaré - O Filho de Deus' Reprodução Cine Teatro Imperator, no Villa Nova Shopping Capitã Marvel Sessões: 18h40, 21h40 (2D dublado) Gênero: Ação, Aventura Classificação: 12 anos De Pernas pro Ar 3 Sessões: 14h, 16h20, 21h20 (2D nacional) Gênero: Comédia Classificação: 14 anos Shazam! Sessões: 13h30, 16h10, 19h (2D dublado) Gênero: Ação, Fantasia Classificação: 12 anos Ingressos: De segunda-feira a quarta-feira: R$ 10 (meia para todos; exceto feriados) e R$ 15 (premium) De quinta-feira a domingo: R$ 20 (inteira); R$ 10 (meia) e R$ 20 (premium) (A meia-entrada é válida para crianças de até 12 anos e idosos a partir dos 60 anos. Também é válida para estudantes, professores estaduais, municipais e federais, policiais Militar, Civil e Federal, agente penitenciário, guarda municipal, bombeiro militar e empresas conveniadas, que devem apresentar a devida identificação). Keanu Reeves em cena de 'Cópias - De Volta à Vida' Reprodução Moviecom Cinemas, no Macapá Shopping A Maldição da Chorona (estreia) Sessões: 14h30, 17h, 19h15, 21h40 (2D dublado) Gênero: Terror, Suspense Classificação: 14 anos After Sessão: 21h40 (2D dublado) Gênero: Romance, Drama Classificação: 14 anos Capitã Marvel Sessões: 16h40, 21h30 (2D dublado) Gênero: Ação, Fantasia Classificação: 12 anos De Pernas pro Ar 3 Sessões: 16h, 18h15, 20h30 (2D nacional) Gênero: Comédia Classificação: 14 anos Dumbo Sessões: 14h20, 19h10 (2D dublado) Gênero: Família, Aventura Classificação: 10 anos Shazam! Sessões: 14h20, 16h30, 19h, 21h15 (2D dublado) Gênero: Ação, Fantasia Classificação: 12 anos Superação – O Milagre da Fé (estreia) Sessões: 14h25, 16h45, 19h15 (2D nacional) Gênero: Drama, Biografia Classificação: 10 anos Ingressos: Para sessões em 2D Segundas, terças e quartas: R$ 15 (inteira) e R$ 7,5 (meia) Quinta a domingo e feriados: R$ 22 (inteira) e R$ 11 (meia) Moviecom+ 2D Segundas e terças e quartas-feiras: R$ 12 Quinta a domingo e feriados: R$ 17 (Limitado a 1 ingresso por sessão por cartão) Para sessões em 3D Segunda a quarta: R$ 15 (inteira) e R$ 7,50 (meia) Quinta a domingo e feriado (matinê*): R$ 25 (inteira) e R$ 12,5 (meia) Quinta a domingo e feriado (noite): R$ 27 (inteira) e R$ 13,5 (meia) (*matinê são sessões iniciadas até às 17h59) Moviecom+ 3D Segundas e terças: R$ 22 Quartas-feiras: R$ 12 Quinta a domingo e feriados: R$ 26 (Limitado a 1 ingresso por sessão por cartão) Chloë Grace Moretz, Sasha Lane e Forrest Goodluck em cena de 'O Mau Exemplo de Cameron Post' Divulgação Cinépolis, no Amapá Garden Shopping A Maldição da Chorona (estreia) Sessões: 15h20, 17h25, 19h30 (2D dublado); 21h50 (2D legendado) Gênero: Terror, Suspense Classificação: 14 anos Cópias - De Volta a Vida (estreia) Sessões: 14h10, 16h30, 18h50, 21h10 (2D legendado - Sala VIP) Gênero: Crime, Ficção-científica, Mistério Classificação: 14 anos Jesus de Nazaré - O Filho de Deus (estreia) Sessões: 13h30, 16h, 18h30, 21h, 23h30 (2D dublado) Gênero: Drama, História Classificação: 12 anos O Mau Exemplo de Cameron Post (estreia) Sessão: 18h15 (2D legendado) Gênero: Drama Classificação: 14 anos After Sessões: 20h15 (2D dublado); 15h30, 17h45, 20h, 22h15 (2D legendado - Sala VIP) Gênero: Romance, Drama Classificação: 14 anos De Pernas pro Ar 3 Sessões: 13h40, 14h40, 15h50, 17h, 19h20, 20h20, 21h40 (2D nacional) Gênero: Comédia Classificação: 14 anos Shazam! Sessões: 14h20, 17h10, 19h50 (3D dublado); 22h30 (3D legendado - Sala VIP) Gênero: Ação, Fantasia Classificação: 12 anos Superação – O Milagre da Fé Sessões: 14h20, 16h45, 19h10, 21h35 (2D dublado) Gênero: Biografia, Drama Classificação: 10 anos Ingressos: Para sessões em 2D Segundas, terças e quartas-feiras, exceto feriados: R$ 16 (inteira) e R$ 8 (meia) Quinta a domingo e feriados: R$ 21 (inteira - matinê**), R$ 10,50 (meia - matinê); R$ 23 (inteira - noite), R$ 11,50 (meia-noite) (**matinê são sessões iniciadas até as 16h55, e noite, a partir de 17h) Para sessões em 3D Segundas, terças e quartas-feiras, exceto feriados: R$ 17 (inteira) e R$ 8,50 (meia) Quinta à domingo e feriados: R$ 28 (inteira) e R$ 14 (meia) Para sessões em Sala VIP 2D Segundas, terças e quartas-feiras, exceto feriados: R$ 26 (inteira) e R$ 13 (meia) Quinta a domingo e feriados: R$ 34 (inteira - matinê), R$ 17 (meia - matinê); R$ 37 (inteira - noite), R$ 18,50 (meia-noite) Para sessões em Sala VIP 3D Segundas, terças e quartas-feiras, exceto feriados: R$ 29 (inteira) e R$ 14,50 (meia) Quinta a domingo e feriados: R$ 41 (inteira) e R$ 20,50 (meia) Cena de 'After' é a adaptação da fanfic de Anna Todd Reprodução Para ler mais notícias do estado, acesse o G1 Amapá.
    'Caro, mas a gente faz o possível para comprar', diz mãe que levou quatro ovos de Páscoa por R$ 100

    'Caro, mas a gente faz o possível para comprar', diz mãe que levou quatro ovos de Páscoa por R$ 100


    Andreia Castro adotou estratégias para levar chocolate para a família. Procon identificou ovos de R$ 9,90 a R$ 82 em Macapá. Andreia Castro procura ovos de chocolates com preços acessíveis, em Macapá Victor Vidigal/G1 A técnica em enfermagem...


    Andreia Castro adotou estratégias para levar chocolate para a família. Procon identificou ovos de R$ 9,90 a R$ 82 em Macapá. Andreia Castro procura ovos de chocolates com preços acessíveis, em Macapá Victor Vidigal/G1 A técnica em enfermagem Andreia Castro, de 35 anos, é um das pessoas que lotam o comércio de Macapá nesta quinta-feira (18), na busca por ovos de Páscoa. Ela disse fazer o possível para que, mesmo com os preços em alta, consiga levar uma lembrança para os familiares e amigos. "Realmente está muito caro, principalmente para criança quando vem brinde, chega a R$ 40 um ovo pequeno. Mas a gente faz o possível para comprar. Estou levando quatro, mas nenhum tem brinde", disse Andreia, que gastou mais de R$ 100 com as guloseimas. Para acompanhar a variação dos preços desse tipo de produto, o Instituto de Defesa do Consumidor do Amapá (Procon-AP) realizou entre os dias 8 a 12 de abril fiscalização e pesquisa em estabelecimentos que vendem produtos de Páscoa, em Macapá e Santana. O levantamento indicou que os preços dos ovos variam de R$ 9,90 (40 gramas) a R$ 82,14 (575 gramas). "Não vai dar para presentear todo mundo com ovo, mas estou levando alguns chocolates para não esquecer dos amigos também", completou Andreia. Mulheres fazem escolha de ovos de chocolate em supermercado de Macapá Victor Vidigal/G1 O estudante Rafael Pastana, de 24 anos, foi em busca de um ovo pequeno que os amigos falaram para ele que estava no valor de R$ 4, mas se assustou ao ver os preços e escolheu por uma opção mais em conta. "Vou levar mesmo só uma caixa de chocolate. Me disseram que tinha ovo de R$ 4, mas não encontrei. Melhor levar algo mais em conta, porque um ovo médio está passando dos R$ 30", opinou Pastana. De acordo com o Procon, os ovos de chocolate com brinquedos de brinde favorecem no encarecimento. O órgão também deixa a dica para o consumidor sempre ficar atento ao custo-benefício do produto que for comprar. Foi o que fez o funcionário público Everton Fernandes, de 35 anos, que escolheu fazer uma pesquisa nos estabelecimentos antes de fechar as compras. "Eu entendo o preço alto por conta dos impostos, mas antes de comprar para valer fiz algumas pesquisas e vi que nessa loja os ovos de chocolate estão saindo mais baratos. Como estou comprando principalmente para as crianças, e sei que os com brindes são os mais caros, foi a forma que achei de economizar na hora da escolha", explicou o Fernandes. Everton Fernandes fez, junto com a esposa, uma pesquisa antes de comprar os ovos de Páscoa Victor Vidigal/G1 Para ler mais notícias do estado, acesse o G1 Amapá.
    Espetáculo 'O Auto da Paixão' reúne 50 atores para encenação em praça pública de Macapá

    Espetáculo 'O Auto da Paixão' reúne 50 atores para encenação em praça pública de Macapá


    Peça que narra a vida Jesus Cristo, acontece na Sexta-feira Santa (19) na Praça Chico Noé. Trecho de 'O Auto da Paixão' encenado em anos anteriores Brunno Charles/Divulgação A história da vida, morte e ressurreição de Jesus Cristo mais uma...


    Peça que narra a vida Jesus Cristo, acontece na Sexta-feira Santa (19) na Praça Chico Noé. Trecho de 'O Auto da Paixão' encenado em anos anteriores Brunno Charles/Divulgação A história da vida, morte e ressurreição de Jesus Cristo mais uma vez será encenada para o público em Macapá, na tradicional apresentação do espetáculo "O Auto da Paixão". A apresentação acontece na Sexta-feira Santa (19), às 19h, no anfiteatro da Praça Chico Noé, no bairro Laguinho. O roteiro é inspirado na obra "A Paixão de Cristo", do dramaturgo carioca Flávio Cavalcante e será dirigido pelo quinto ano consecutivo por Jhou Santos. A encenação é produzida pela Companhia de Teatro Cristão Art’s Sacra Amapá, que reúne artistas dos segmentos da música, dança e esporte, além do teatro, que atuam nos bairros Laguinho e Pacoval. Neste ano, pelos 50 atores participam do espetáculo. Para o produtor geral do espetáculo, Márcio Ayres, a encenação se tornou uma tradição no bairro Laguinho e isso representa a mistura de práticas artísticas com a fé. "O Laguinho é conhecido pelo forte teor religioso e cultural. A encenação que realizamos em praça pública só reforça esses pontos. É bom ressaltar que a apresentação deve ser anual, ou seja, o elenco é rotativo e que a população também faz parte da construção dessa história", disse Ayres. 'O Auto da Paixão' será apresentada na sexta-feira (19) gratuitamente Brunno Charles/Divulgação A peça tem o objetivo de provocar reflexão nos espectadores acerca da temática abordada, foram selecionadas cenas marcantes da história de Jesus Cristo na terra envolvendo teatro, música, dança e um diferente trabalho cenográfico. "Vamos contar a história Dele desde o nascimento até a ressurreição, através de acontecimentos que marcaram a vida de Jesus. Os episódios serão representados por cerca de 80 artistas, com uma cenografia diferenciada, em cerca de 1 hora e meia de espetáculo”, falou. A apresentação será única e de graça, com cerca de uma hora de duração. A expectativa é que mais de duas mil pessoas assistam o espetáculo. Apresentação conta história de vida, morte e ressurreição de Jesus Cristo Brunno Charles/Divulgação Serviço Peça teatral "O Auto da Paixão" Dia: 19 de abril (sexta-feira) Hora: 19h Local: Praça Chico Noé (Avenida Ana Nery, bairro Laguinho) Entrada gratuita Classificação indicativa: Livre Tem alguma notícia para compartilhar? Envie para o Tô Na Rede!
    VÍDEOS: Bom Dia Amazônia - AP de quinta-feira, 18 de abril

    VÍDEOS: Bom Dia Amazônia - AP de quinta-feira, 18 de abril


    Assista aos vídeos do telejornal com as notícias do Amapá. Assista aos vídeos do telejornal com as notícias do...


    Assista aos vídeos do telejornal com as notícias do Amapá. Assista aos vídeos do telejornal com as notícias do Amapá.
    PRF intensifica fiscalização nas rodovias federais do AP na 'Operação Semana Santa'

    PRF intensifica fiscalização nas rodovias federais do AP na 'Operação Semana Santa'


    Operação segue até domingo (21) e PRF alerta motoristas com pistas molhadas. PRF intensifica fiscalização de velocidade nas estradas federais do Amapá até domingo (21) Reprodução/Rede Amazônica Iniciou na madrugada desta quinta-feira (18) a...


    Operação segue até domingo (21) e PRF alerta motoristas com pistas molhadas. PRF intensifica fiscalização de velocidade nas estradas federais do Amapá até domingo (21) Reprodução/Rede Amazônica Iniciou na madrugada desta quinta-feira (18) a "Operação Semana Santa", realizada pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) nas estradas do Amapá. A ação intensifica a fiscalização do trânsito, de veículos e a velocidade nas rodovias. A prioridade é nas áreas onde ocorrem acidentes com maior frequência. A operação termina na noite do domingo (21). Segundo a PRF, o feriado prolongado faz com que o fluxo de veículos nas estradas aumentem, por causa das pessoas que aproveitam o período para viajar. Serão intensificados o uso de radares móveis de velocidade e "bafômetros". A fiscalização das condutas consideradas mais danosas por parte dos condutores, a exemplo do uso de álcool, ultrapassagens indevidas, o não uso do cinto de segurança e demais dispositivos de retenção serão alvos preferenciais dos agentes da PRF. Aldo Balieiro, superintendente da PRF do Amapá Jorge Abreu/Arquivo G1 Para o superintendente da PRF no estado, Aldo Balieiro, o condutor deve ficar atento com as condições das pistas em caso de chuvas. "Ele [motorista] deve se preocupar com as condições do tempo, estamos num período chuvoso, que precisa redobrar a atenção. Principalmente entre os trechos dos quilômetros 50 ao 80 da BR-210, com muitas curvas acentuadas", alertou. Conforme a PRF, também serão desenvolvidas ações de educação para o trânsito com o objetivo de conscientizar para o risco de excesso de velocidade, alcoolemia, ultrapassagens perigosas e falta de uso de segurança. De acordo com os dados da PRF, na Operação Semana Santa 2018 foram registrados dois acidentes, que resultaram em dois feridos, e nenhuma morte. *Com informações da Rede Amazônica Para ler mais notícias do estado, acesse o G1 Amapá.
    Polícia encontra local de desmanche de motos na BR-156; homem foi detido

    Polícia encontra local de desmanche de motos na BR-156; homem foi detido


    Equipes deram cumprimento a mandado de busca e encontraram local na quarta-feira (17). Polícia encontra local de desmanche de motos na BR-156 Polícia Civil/Divulgação Um homem foi preso em flagrante pelas polícias Civil e Rodoviária Federal...


    Equipes deram cumprimento a mandado de busca e encontraram local na quarta-feira (17). Polícia encontra local de desmanche de motos na BR-156 Polícia Civil/Divulgação Um homem foi preso em flagrante pelas polícias Civil e Rodoviária Federal (PRF), na quarta-feira (17), em Macapá, acusado de receptação e adulteração de veículos. Na casa dele, as equipes encontraram uma motocicleta com restrição de furto e roubo e suspeitam que o local serve para desmanche de veículos. A residência fica no quilômetro 44 da BR-156. Segundo a polícia, foram encontradas várias peças de moto e, ainda, objetos como roçadeira e transformador. Objetos que, constantemente, vêm sendo furtados das residências localizadas às margens da rodovia. Casa também tinha itens furtados de casas ao longo da rodovia Polícia Civil/Divulgação O suspeito foi localizado pela 7ª Delegacia de Polícia de Macapá, durante investigação de um furto. A polícia solicitou mandado de busca e apreensão para encontrar objetos relacionados ao crime. No cumprimento, a polícia identificou o local e fez a prisão em flagrante. No momento da prisão, o homem indicou outro local onde ele teria vendido outra moto. As equipes identificaram que esse outro veículo tinha sinais de adulteração veicular, devido o número do chassi não corresponder com as informações da placa que tinha. A Polícia Civil informou que vai continuar investigando o caso. O suspeito foi interrogado na delegacia e depois liberado. Peças de motos foram encontradas na casa Polícia Civil/Divulgação Para ler mais notícias do estado, acesse o G1 Amapá.
    Saiba o que abre e o que fecha no feriado de Sexta-Feira Santa e Tiradentes, em Macapá

    Saiba o que abre e o que fecha no feriado de Sexta-Feira Santa e Tiradentes, em Macapá


    Comércio não funcionará na sexta-feira (19). Shoppings abrem parcialmente. Imagem de Jesus Cristo, grande homenageado durante a Sexta-Feira Santa Fabiana Figueiredo/G1 Sexta-Feira Santa, no dia 19, e Tiradentes, no domingo (21), são os feriados...


    Comércio não funcionará na sexta-feira (19). Shoppings abrem parcialmente. Imagem de Jesus Cristo, grande homenageado durante a Sexta-Feira Santa Fabiana Figueiredo/G1 Sexta-Feira Santa, no dia 19, e Tiradentes, no domingo (21), são os feriados que marcam a semana. O G1 preparou uma lista com todos os horários de funcionamento de serviços públicos e privados para o internauta se preparar e não ter imprevistos durante as datas em Macapá. Comércio A Federação do Comércio do Amapá (Fecomércio) informou que na sexta-feira (19), no Centro Comercial, não irão funcionar os segmentos de varejo e atacado de gêneros alimentícios, materiais de construção, elétricos, hidráulicos, representantes comerciais, além de empresas de materiais de escritório e papelaria, lojas, calçados e eletrodomésticos. Já no domingo (21), a Fecomércio disse que empresas do varejo de gêneros alimentícios poderão funcionar de 7h às 0h. Das 8h às 13h, ficam abertas as empresas de materiais de construção, elétricos, hidráulicos, representantes comerciais, e o comércio atacadista de gêneros alimentícios. As empresas dos ramos de materiais de escritório e papelaria, lojas, calçados, móveis e eletrodomésticos devem permanecer abertas entre 8h e 18h. Comércio estará fechado durante feriado Jorge Abreu/Arquivo G1 Shoppings No Macapá Shopping, das 12h às 22h, o público terá acesso as áreas de alimentação e lazer na sexta-feira. Lojas, quiosques e o supermercado não abrem. A academia funcionará das 9h às 15h e cinema de 13h às 22h. No feriado de Tiradentes, os horários se repetem, menos para o supermercado, que abre de 8h às 21h, e as lojas e quiosques que funcionarão, de 15h às 21h. No Garden Shopping, somente a praça de alimentação funcionará das 16h às 22h, na sexta-feira. No domingo, lojas âncoras e área de lazer ficam abertas das 12h às 21h, e lojas satélites, mega lojas e quiosques, das 15h às 21h. O cinema abre conforme programação nos dois dias. O Villa Nova funcionará apenas com o cinema na sexta-feira, das 12h às 22h. No domingo, abrem as Lojas Americanas de 10h às 18h e o cinema, de 14h às 22h. Cinemas Os cinemas não terão alterações nos horários das sessões, que serão divulgados ainda nesta quinta-feira (17). Supermercados As lojas dos supermercados Fortaleza não abrem na sexta-feira (19). No domingo (21), o supermercado do shopping fica aberto das 8h às 21h. As unidades dos bairros Laguinho, Perpétuo Socorro, Centro, JK e Santana abrem das 7h às 13h. Na rede Santa Lúcia, as lojas também não abrem na sexta-feira. No domingo, o funcionamento é normal em todos as unidades. O supermercado Favorito ficará fechado na sexta-feira (19). No dia de Tiradentes a loja abre de 7h às 13h. O Armazém Brasil Atacarejo também fecha as duas lojas na Sexta-Feira Santa. Já no domingo (21), o supermercado do bairro Buritizal abre de 7h às 13h. Na loja da Rodovia JK, o horário de abertura é o mesmo, com funcionamento até 21h. Supermercados funcionam apenas no sábado e domingo Larissa Emille/Arquivo Pessoal Transporte A frota que atende a capital será de 70% na sexta-feira e no domingo, segundo solicitou a Companhia de Trânsito e Transporte de Macapá (CTMac) às empresas. Será cobrada a tarifa social, de R$ 1,65, com ônibus circulando das 6h às 23h, nos dois dias. Bancos Todas as agências bancárias não vão funcionar na Sexta-feira Santa, informou o Sindicato dos Bancários do Amapá. Hospitais e UBSs O atendimento de urgência e emergência nos hospitais de Emergência (HE), da Mulher Mãe Luzia (HMML), de Santana (HE), Pronto Atendimento Infantil (PAI) e Unidades de Pronto Atendimento (UPA) Zona Norte e Zona Sul será mantido 24 horas. Nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs), também haverá alteração no funcionamento. Os postos destinados a atendimento ambulatorial, de 7h às 19h, não funcionam entre 19 e 21 de abril. Em UBSs com atendimento diário de 18 horas e 24 horas, os serviços serão mantidos no feriadão. As unidades são: Dr. Marcelo Cândia (Jardim Felicidade), Dr. Lélio Silva (Buritizal), Marabaixo (Marabaixo 2), Perpétuo Socorro (Perpétuo Socorro), Dr. Rubim Aronovitch (Santa Inês) e Pedro Barros (Fazendinha). Órgãos Públicos Governos estadual e municipal declararam ponto facultativo a partir desta quinta-feira (18) e voltam com serviço normal na segunda-feira (22). O expediente do Tribunal de Justiça (Tjap) está paralisado desde quarta-feira (17), e retorna na segunda-feira. Órgãos públicos deixam de funcionar a partir de quarta-feira (17) TRE/Divulgação Para ler mais notícias do estado, acesse o G1 Amapá.
    AP registra a 3ª maior queda do país nas mortes violentas em 2019; redução foi de 35%

    AP registra a 3ª maior queda do país nas mortes violentas em 2019; redução foi de 35%


    Foram 34 casos no 1º bimestre de 2019 contra 53 no mesmo período do ano passado. Dados integram a nova atualização do projeto Monitor da Violência, do G1. Monitor contabiliza mortes por homicídios dolosos, latrocínios e lesões corporais...


    Foram 34 casos no 1º bimestre de 2019 contra 53 no mesmo período do ano passado. Dados integram a nova atualização do projeto Monitor da Violência, do G1. Monitor contabiliza mortes por homicídios dolosos, latrocínios e lesões corporais seguidas de morte Ugor Feio/G1 Depois de encerrar o ano passado com elevação de 10% na quantidade de mortes violentas, o Amapá iniciou 2019 com a terceira maior redução do país no número de assassinatos: uma queda de 35,8%. Os dados referentes ao primeiro bimestre integram o projeto Monitor da Violência, elaborado pelo G1, que há quase dois anos acompanha a evolução dos índices. De acordo com a ferramenta, que contabiliza como mortes violentas casos de homicídios dolosos, latrocínios e óbitos em decorrência de lesão corporal, foram 53 registros em janeiro e fevereiro de 2018, contra 34 no mesmo período desse ano. Confira o mapa com as mortes no Amapá mês a mês Monitor da Violência mostra os registros em todo o país AP tem alta de 10% e registrou quase uma morte violenta por dia em 2018 À frente do Amapá em quantidade de assassinatos ficaram Ceará (-57,9%) e Rio Grande do Norte (-41,9%). A redução nas mortes violentas ocorreu em 16 dos 26 estados e o Distrito Federal; em todo o país a queda foi de 24,6% em comparação ao 1º bimestre de 2017. Nos dois meses, a redução mais drástica no Amapá foi em janeiro, com uma queda de 31 para 13 mortes violentas. Em fevereiro a baixa foi de 22 para 21 casos. Os dados do Amapá, assim como de todo o país, são solicitados pelo G1 às secretarias de Segurança Pública dos estados através da Lei de Acesso à Informação (LAI) e também através das assessorias de comunicação. 16 dos 26 estados e o Distrito Federal apresentaram baixa nos índices John Pacheco/G1 Desde 2017, todos os dados são monitorados. O Monitor da Violência é em parceria com o Núcleo de Estudos da Violência da Universidade de São Paulo (USP) e o Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Em março, o Governo Federal anunciou a criação de um sistema similar. Os dados, no entanto, não estão tão atualizados como os da ferramenta do G1. O último mês disponível é dezembro de 2018. Os dados coletados mês a mês não incluem as mortes em decorrência de intervenção policial. Isso porque há uma dificuldade maior em obter esses dados em tempo real e de forma sistemática com os governos estaduais. Mortes violentas no estado em 2019 Janeiro Homicídios dolosos: 11 Latrocínios: 0 Lesão corporal seguida de morte: 2 Fevereiro Homicídios dolosos: 17 Latrocínios: 3 Lesão corporal seguida de morte: 1 O que diz o governo? A Secretaria de Estado da Justiça e Segurança Pública (Sejusp) atribui a redução a políticas implementadas pelo governo, "como a contratação de novos policiais, aquisição de novas viaturas, operações policiais rotineiras, treinamento das forças de segurança e o serviço de inteligência das polícias". Brasil registra redução no número de mortes violentas no 1º bimestre Rodrigo Sanches/G1 Para ler mais notícias do estado, acesse o G1 Amapá.
    'Foi assassinado. Não estava armado', denuncia pai de jovem morto em tiroteio com a PM

    'Foi assassinado. Não estava armado', denuncia pai de jovem morto em tiroteio com a PM


    Morte de Leandro Pereira, de 21 anos, foi uma das 33 apontadas pela Secretaria de Segurança Pública do Amapá como ocorridas em intervenções policiais neste ano. Local da morte de Leandro Pereira, na Zona Sul de Macapá Rede...


    Morte de Leandro Pereira, de 21 anos, foi uma das 33 apontadas pela Secretaria de Segurança Pública do Amapá como ocorridas em intervenções policiais neste ano. Local da morte de Leandro Pereira, na Zona Sul de Macapá Rede Amazônica/Reprodução Após a morte de Leandro Pereira, de 21 anos, num confronto com a Polícia Militar (PM) em 22 de março numa periferia de Macapá, moradores do entorno gritavam e questionavam os policiais que cercavam o local sobre o motivo da morte. Eles se mobilizaram e alegavam que o jovem, preso em outras oportunidades por suspeita de assalto e porte ilegal de arma, foi executado pelos policiais e que não houve confronto. A versão da PM de troca de tiros foi mantida e o caso foi tratado como morte em decorrência de intervenção. Na estatística da Secretaria de Justiça e Segurança Pública do Amapá (Sejusp), a morte de Leandro é uma das 33 que ocorreram nos primeiros 100 dias de 2019 após confrontos armados com equipes da PM. Nas ocorrências, nenhum policial foi morto ou ferido. Os registros de mortes de civis em confrontos com as forças de segurança saltaram mais de 300% entre 1º de janeiro e esta quarta-feira (17). No mesmo período do ano passado foram 10 casos. Pedro Furtado acredita que filho tenha sido executado Rede Amazônica/Reprodução A ação policial que levou à morte de Leandro é questionada pelo pai do jovem, o vigilante Pedro Furtado dos Santos. Ele diz que o filho foi executado pelos militares. "Se meu filho tivesse armado, eu entendo. Que confronto é esse que eles falam? Confronto se eu não me engano, um atira do lado e outro atira do outro. Nesse caso foi um assassinato. Não matou só o meu filho, matou a mim também", disse, chorando, o vigilante. Para a Sejusp, as execuções atribuídas à PM são resultado do aumento da criminalidade no Amapá, onde bandidos estão cada vez mais armados e dispostos a reagir para não serem presos. "Acredito fielmente que essas tropas policiais estão na rua para defender a nossa sociedade e esse enfrentamento é devido ao aumento do crime organizado no estado. Esse policial precisa a todo custo antes de proteger as pessoas, proteger a si mesmo", declarou Carlos Souza, titular da Sejusp. Carlos Souza, titular da Secretaria de Segurança Pública do Amapá Carlos Alberto Jr/G1 A elevação tripla dos casos de mortes em confronto com a polícia, entre um ano e outro, é vista pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) como uma tendência em função da impunidade atribuída aos casos. "A possibilidade de uma dessas medidas do pacote anticrime que vem isentar os policias que matam em serviço, tem dado incentivo para que esses números aumentam. Esses números tem a ver com uma política pública equivocada", argumenta Maurício Pereira, da Comissão de Direitos Humanos da OAB. Maurício Pereira, da Comissão Nacional de Direitos Humanos da OAB John Pacheco/G1 Para ler mais notícias do estado, acesse o G1 Amapá.
    VÍDEOS: JAP2 de quarta-feira, 17 de abril

    VÍDEOS: JAP2 de quarta-feira, 17 de abril


    Assista aos vídeos do telejornal com as notícias do Amapá. Assista aos vídeos do telejornal com as notícias do...


    Assista aos vídeos do telejornal com as notícias do Amapá. Assista aos vídeos do telejornal com as notícias do Amapá.
    Lama, lixo e mato alto limitam tráfego de moradores e veículos na Zona Norte de Macapá

    Lama, lixo e mato alto limitam tráfego de moradores e veículos na Zona Norte de Macapá


    Vias do bairro Novo Horizonte são alvo de reclamação de moradores e motoristas. Semur informa que fará limpeza na próxima semana. Tráfego de carros na Avenida Ana Maria Gomes da Costa é impedido pelo mato alto e acúmulo de entulhos na...


    Vias do bairro Novo Horizonte são alvo de reclamação de moradores e motoristas. Semur informa que fará limpeza na próxima semana. Tráfego de carros na Avenida Ana Maria Gomes da Costa é impedido pelo mato alto e acúmulo de entulhos na região, em Macapá Ugor Feio/G1 No bairro Novo Horizonte, na Zona Norte de Macapá, o mato se espalhou em frente a um terreno baldio na Rua Hermes Monteiro da Fonseca e ocupou metade da via. Já na Avenida Ana Maria Gomes da Costa, o mato e entulhos ocupam completamente um trecho impedindo a passagem dos carros. A falta de manutenção nas ruas revolta e preocupa moradores. A Secretaria Municipal de Manutenção Urbanística (Semur) informou que os locais foram incluídos no cronograma de limpeza, entretanto, não informou o prazo exato, mas estimou que o serviço da Rua Hermes da Fonseca, deve iniciar em até uma semana. Quanto ao trabalho na Avenida Ana Maria Gomes da Costa, o prazo para execução é ainda maior, pois além da limpeza, o local vai precisar de uma macro drenagem, necessária para fazer a retirada do excesso de água do solo, explicou a secretaria. Teodoro Souza mora em via precária há mais de duas décadas Ugor Feio/G1 O gerente de loja Teodoro Souza, de 45 anos, é morador da Rua Hermes Monteiro da Fonseca há mais de duas décadas. Ele conta que o problema preocupa a família por causa da segurança e até mesmo por questões de saúde. "Todos os dias eu preciso esperar meu filho chegar da faculdade, tarde da noite, na esquina da rua. Temos medo de que algo aconteça quando ele passar na frente desse matagal. Aí tem água parada, animais de rua e muitos caramujos, isso pode transmitir doenças", contou. Ainda segundo o morador, o mato que cresce em frente ao terreno baldio chegou a subir no poste e na fiação elétrica, causando riscos à distribuição de energia elétrica. Além disso, Souza reforça que a área já virou uma lixeira viciada e pode servir de esconderijo para assaltantes. Wilson Lima, de 53 anos, morador do bairro Novo Horizonte Ugor Feio/G1 O motorista Wilson Lima, de 53 anos, também morador do bairro, relata que o entulho e mato acumulados na Avenida Ana Maria Gomes da Costa impedem tráfego na região. Ele diz que a prefeitura fez uma limpeza no bairro em 2018, mas nunca foi recolher o lixo. "Eles despejaram tudo isso aqui na frente de casa depois de limpar as áreas alagadas aqui. Quando eu perguntei, me informaram que no dia seguinte os caminhões já viriam recolher tudo, isso já tem um ano. A gente liga, reclama e ninguém nunca resolve", finalizou Lima. Na Rua Hermes Monteiro da Fonseca o mato atingiu fiação elétrica e ocupa metade da via Ugor Feio/G1 Área em terreno baldio na Rua Hermes Monteiro da Fonseca virou lixeira viciada Ugor Feio/G1 Pedestre atravessa Avenida Ana Maria Gomes da Costa onde o tráfego é limitado pelo mato alto Ugor Feio/G1 Para ler mais notícias do estado, acesse o G1 Amapá.
    Levando literatura cristã para a Região Norte, 'Barco da Bíblia' percorre três cidades do AP

    Levando literatura cristã para a Região Norte, 'Barco da Bíblia' percorre três cidades do AP


    Embarcação ancorou no estado na terça-feira (16) e deve ficar até 5 de maio. 'Barco da Bíblia' visita as cidades de Macapá, Vitória e Laranjal do Jari Cassio Albuquerque/Arquivo G1 Por mais um ano, o "Barco da Bíblia" faz nova temporada de...


    Embarcação ancorou no estado na terça-feira (16) e deve ficar até 5 de maio. 'Barco da Bíblia' visita as cidades de Macapá, Vitória e Laranjal do Jari Cassio Albuquerque/Arquivo G1 Por mais um ano, o "Barco da Bíblia" faz nova temporada de viagens pela a Região Norte do país. Nesta edição, a primeira parada foi no Amapá, na terça-feira (16), na cidade de Vitória do Jari, onde segue até quinta-feira (18). A embarcação passa ainda por Macapá e Laranjal do Jari. A iniciativa faz parte do programa Luz na Amazônia, da Sociedade Bíblica do Brasil (SBB), criado para levar conhecimento e literatura bíblica para a população que vive na Amazônia. A embarcação disponibiliza área ampla e moderna de livraria e um espaço cultural, com peças do acervo do Museu da Bíblia. O público também poderá comprar livros a preços populares. Toda a renda alcançada pela venda de bíblias na embarcação será destinada a ações do projeto social da entidade. Um dos atrativos do barco é o museu, onde estão disponibilizados exemplares do livro escritos em 10 idiomas diferentes, entre eles, o hebraico, árabe e as línguas indígenas brasileiras. Ao todo, serão mais de dois meses de viagem em municípios do Amapá e do Pará. A expectativa é que mais de 3 mil pessoas visitem a embarcação durante as viagens nos dois estados. Serviço Barco da Bíblia no Amapá Laranjal do Jari: de 19 a 24 de abril (orla do rio Jari) Macapá: de 26 de abril a 5 de maio (Rampa do Santa Inês) Horário de funcionamento: das 8h às 20h Para ler mais notícias do estado, acesse o G1 Amapá.
    VÍDEOS: JAP1 de quarta-feira, 17 de abril

    VÍDEOS: JAP1 de quarta-feira, 17 de abril


    Assista aos vídeos do telejornal com as notícias do Amapá. Assista aos vídeos do telejornal com as notícias do...


    Assista aos vídeos do telejornal com as notícias do Amapá. Assista aos vídeos do telejornal com as notícias do Amapá.
    Homem baleado por 6 tiros em ponto de ônibus morre no HE de Macapá

    Homem baleado por 6 tiros em ponto de ônibus morre no HE de Macapá


    Após complicações, vítima não resistiu aos ferimentos na manhã desta quarta-feira (17). Homem foi baleado em ponto de ônibus por dupla em moto, em Macapá, na terça-feira (16) Reprodução O homem, de 36 anos, que foi baleado por uma dupla de...


    Após complicações, vítima não resistiu aos ferimentos na manhã desta quarta-feira (17). Homem foi baleado em ponto de ônibus por dupla em moto, em Macapá, na terça-feira (16) Reprodução O homem, de 36 anos, que foi baleado por uma dupla de moto na terça-feira (16), no bairro Brasil Novo, na Zona Norte de Macapá, morreu na manhã desta quarta-feira (17). Ele foi levado consciente de ambulância para o Hospital de Emergência (HE) da capital, mas não resistiu aos ferimentos, informou a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa). Marcelo Pereira de Souza, de 36 anos, era natural de Vitória do Jari, no Sul do Amapá, e foi atingido por 6 tiros próximo à Escola Estadual Maria Cavalcante de Azevedo Picanço. Segundo a Polícia Militar (PM), ele estava num ponto de ônibus ao lado da instituição, na Rua Manga Rosa, quando foi surpreendido pelos tiros, por volta das 17h, disparados por dois homens em uma moto. A dupla conseguiu fugir rapidamente sem ser identificada. Souza foi socorrido pelo Serviço Móvel de Atendimento de Urgência (Samu) e foi encaminhado ao HE logo após o ataque. A polícia busca imagens das câmeras de seguranças da escola para tentar identificar os autores e o motivo do atentado. Até a última atualização desta reportagem, os autores dos disparos não haviam sido localizados e também não havia informações oficiais sobre o que motivou o crime, que levou Souza à morte. *Com informações da Rede Amazônica Para ler mais notícias do estado, acesse o G1 Amapá.
    Trecho da rodovia Duca Serra é parcialmente interditado, em Macapá; veja o que muda

    Trecho da rodovia Duca Serra é parcialmente interditado, em Macapá; veja o que muda


    Tráfego deverá ficar lento por cerca de uma hora, na tarde desta quarta-feira (17). Trecho sobre a Lagoa dos Índios terá trânsito parcialmente interditado às 14h30 desta quarta-feira (17), na Zona Oeste de Macapá Rede Amazônica/Reprodução A...


    Tráfego deverá ficar lento por cerca de uma hora, na tarde desta quarta-feira (17). Trecho sobre a Lagoa dos Índios terá trânsito parcialmente interditado às 14h30 desta quarta-feira (17), na Zona Oeste de Macapá Rede Amazônica/Reprodução A obra de duplicação da rodovia AP-440, a “Duca Serra”, vai causar interdição parcial no trecho próximo à Lagoa dos Índios, na Zona Oeste de Macapá, a partir das 14h30 desta quarta-feira (17). O bloqueio deve durar cerca de uma hora e meia. A Secretaria de Estado de Transportes (Setrap) e o Batalhão de Policiamento Rodoviário Estadual (BPRE) informaram que parte da rodovia vai ser interditada em razão do início de mais uma etapa das obras de duplicação da AP-440. Às margens da rodovia estão faculdades, empresas, o Instituto de Administração Penitenciária (Iapen), cinco bairros e condomínios residenciais. A AP-440 é a principal via de acesso do Centro à Zona Oeste da capital. “Essa é a obra da ponte da lagoa faz parte da duplicação da Duca Serra. Essa obra está prevista pra gente concluir até o final do ano. Então hoje estamos trabalhando em um dos lados, para depois atuar no outro”, falou o titular da Setrap, Benedito Souza. Além dessa, há a possibilidade de usar como alternativa a rodovias Quilômetro 9 e a JK. “Vai ser 30 metros para um lado quanto para o outro. Os policiais militares farão o controle do fluxo até porque vai ter que ser feito uma mão por vez, visto que metade da via estará interditada para fazer a operação na ponte. Se você tem alvo marcado nesse horário, saia um pouco antes, o horário de quem mora na região Oeste, dá para sair depois, quando a operação terá finalizado e o fluxo normalizado”, orientou o comandante do BPRE, major Carlos Augusto. As obras de duplicação da Duca Serra começaram em 2016 e trazem promessas como o fim dos congestionamentos e trânsito lento na região em horários de pico, já que o fluxo de veículos é alto. Para ler mais notícias do estado, acesse o G1 Amapá.
    Áudios mostram integrantes de facção planejando crimes de dentro de presídio no AP; ouça

    Áudios mostram integrantes de facção planejando crimes de dentro de presídio no AP; ouça


    Líderes do grupo que atuava em quatro municípios do estado foram identificados. Líderes da facção comandavam crimes dentro do Iapen, cita polícia Carlos Alberto Jr/G1 A Polícia Civil do Amapá divulgou áudios que ajudaram nas investigações...


    Líderes do grupo que atuava em quatro municípios do estado foram identificados. Líderes da facção comandavam crimes dentro do Iapen, cita polícia Carlos Alberto Jr/G1 A Polícia Civil do Amapá divulgou áudios que ajudaram nas investigações que resultaram na Operação Derrocada, que cumpriu mais de 30 mandados de prisão no Sul do estado em março. As conversas que estão nos áudios revelaram que membros de uma facção criminosa se comunicavam dentro e fora do presídio. A investigação cita que os chefes de facções, que são internos do Instituto de Administração Penitenciária (Iapen) do Amapá, controlavam o tráfico de drogas, recrutavam novos membros, planejavam assaltos e até mesmo execuções através das ligações. Em um dos áudios, o presidiário e uma pessoa fora da cadeia planejam a execução de uma traficante que seria rival do comércio de drogas dos membros da facção. Criminosos planejam execução de uma traficante no AP - Presidiário: Vamos derrubar ela hoje, tá ouvindo? - Olheiro: Eu espero. - Presidiário: Nenhum moleque que vai matar é daí, tá legal? Segundo o delegado Estéfano Santos, titular da 1ª Delegacia de Polícia Civil (DP) de Laranjal do Jari, a escuta das conversas e a operação interviram e evitaram que crimes - como as execuções - acontecessem. Delegado Estéfano Santos, titular da 1ª DP de Laranjal do Jari, que conduziu as investigações Carlos Alberto Jr/G1 O trabalho da polícia começou há mais de quatro meses e reúne mais de 60 horas de áudio bruto. Quatro membros dos grupos foram identificados e serão indiciados, afirmou a polícia. Os crimes se concentraram no município de Laranjal do Jari, cidade a 265 quilômetros de Macapá, mas há ramificações para Santana, Porto Grande e Ferreira Gomes, descreve a polícia. "Suspeitando da atuação de uma facção criminosa em Laranjal do Jari, a 1º Delegacia de Polícia (DP) da cidade iniciou as investigações. Com o passar dos meses, conseguimos identificar testemunhas e vítimas. O que nos levou ao grampo de diversos celulares, que estavam na posse de internos do Iapen", explicou Santos. Em outro áudio, o criminoso tenta convencer um jovem a entrar na facção, inclusive, citando o nome do grupo. Presidiário recrutando jovem para facção no AP Presidiário: Como eu tô te falando, vocês vão ficar mais seguros vestindo a camisa, fechando com a [censurado], tá ligado, irmão? Novo membro: Tô – inaudível - Presidiário: Boto fé! Olha os caras dos três irmãos, tu vê que esses bicho se fala todo dia, fortalecendo mesmo crime, mesmo, tá ligado? De qualquer forma, quando eles não dão dinheiro, eles dão droga para a gente inteirar pra comprar arma e tal. Novo membro: Eu tô Presidiário: Tá ligado, eles fortalecem 1000 grau, mesmo lá. Tá ligado mano? Novo membro: Eu tô Presidiário: Aí o seguinte, que a maioria de lá já é tudo do [censurado] já, tá ligado? Novo membro: Eu tô, pois é Presidiário: Vestindo a camisa A Polícia Civil reforça que por se tratar de uma região que faz fronteira com o Pará, Laranjal do Jari se tornou uma localização estratégica para facções e por isso está reforçando as fiscalizações e operações, seja dentro do município ou nas ramificações em que esses grupos também atuam. Para ler mais notícias do estado, acesse o G1 Amapá.
    Polícia indicia 10 pessoas por linchamento de suspeito de assalto no interior do AP

    Polícia indicia 10 pessoas por linchamento de suspeito de assalto no interior do AP


    Suspeitos usaram garrafas, faca, pedras, cadeira e até capacete para linchar jovem em 2018. Caso foi investigado pela Polícia Civil de Porto Grande, no Amapá Divulgação/Polícia Civil A Delegacia de Polícia Civil em Porto Grande, município a...


    Suspeitos usaram garrafas, faca, pedras, cadeira e até capacete para linchar jovem em 2018. Caso foi investigado pela Polícia Civil de Porto Grande, no Amapá Divulgação/Polícia Civil A Delegacia de Polícia Civil em Porto Grande, município a 102 quilômetros de Macapá, desvendou o crime que levou à morte Anderson Caldas Nogueira, aos 21 anos, em outubro de 2018. O jovem, apontado como assaltante na região, foi morto em um linchamento. Dez pessoas foram indiciadas pelo crime. De acordo com o delegado Bruno Braz, responsável pela investigação, os homens indiciados este mês têm idades entre 18 e 35 anos, e todos eles já têm passagens pela polícia por vários crimes, como tráfico de drogas, roubo, furto, receptação, e porte ilegal de armas. A polícia conseguiu chegar aos envolvidos através dos depoimentos de cerca de 10 testemunhas. “Esse crime ocorreu na orla de cidade, na frente de um bar e na frente de muitas pessoas. Por isso não foi difícil identificar os autores. Todos bateram efetivamente nele, com garrafas de vidro, terçado, faca, pedaços de madeira, pedras, socos, chutes, golpes de cadeira e de capacete. Ele foi trucidado”, detalhou Braz. A polícia aponta que o crime foi resultado de um desafeto entre o jovem e um rival. “A vítima era um assaltante e no dia anterior ele tinha tentado assaltar a esposa de um desafeto dele. O Anderson estava sendo ameaçado pelos rivais e por isso estava andando com dois terçados. No dia seguinte, eles estavam bebendo no bar, se desentenderam e ele foi linchado. Inclusive, armado, o Anderson atingiu uma das pessoas que mataram ele”, afirmou o delegado. Equipe da Polícia Civil de Porto Grande, no Amapá Polícia Civil/Divulgação Anderson chegou a ser levado para unidade de saúde do município, mas morreu devido os ferimentos. As 10 pessoas foram indiciadas por homicídio duplamente qualificado, por vingança e impossibilidade de defesa da vítima. O delegado acrescentou que um dos acusados também foi indiciado por falso testemunho, porque prestou depoimento como testemunha e mentiu. Na versão dele, nem ele e nem o irmão estavam na briga, mas o irmão, que era tido como suspeito, negou e disse que os dois estavam no local do crime. Os outros suspeitos também citaram que os irmãos participaram do linchamento. Sete dos 10 suspeitos chegaram a ser presos temporariamente ao longo desses seis meses de investigações. O inquérito segue agora para o Ministério Público que deverá levar os acusados a júri popular. Eles respondem ao caso em liberdade. Caso Anderson Caldas Nogueira, de 21 anos, foi morto com vários tipos de golpes durante briga generalizada, em um bar na orla de Porto Grande, na madrugada do dia 15 de outubro de 2018. No primeiro atendimento, a Polícia Militar (PM) descreveu que a confusão ocorreu e deixou, além de Nogueira bastante inconsciente, outros dois homens, de 24 e 42 anos, feridos. Não se sabia o que motivou a briga generalizada e nem quais as identidades dos criminosos. Ninguém havia sido preso pelo crime na época. Para ler mais notícias do estado, acesse o G1 Amapá.
    VÍDEOS: Bom Dia Amazônia - AP de quarta-feira, 17 de abril

    VÍDEOS: Bom Dia Amazônia - AP de quarta-feira, 17 de abril


    Assista aos vídeos do telejornal com as notícias do Amapá. Assista aos vídeos do telejornal com as notícias do...


    Assista aos vídeos do telejornal com as notícias do Amapá. Assista aos vídeos do telejornal com as notícias do Amapá.
    PM é baleado de raspão durante perseguição a jovens em atitude suspeita em Macapá

    PM é baleado de raspão durante perseguição a jovens em atitude suspeita em Macapá


    Caso aconteceu na noite de terça-feira (16), na Fazendinha. PM baleado foi levado para o Pronto Socorro de Snatana, e depois liberado Divulgação/Sesa Um policial militar, lotado no 4º Batalhão da Polícia Militar (BPM), foi atingido de raspão...


    Caso aconteceu na noite de terça-feira (16), na Fazendinha. PM baleado foi levado para o Pronto Socorro de Snatana, e depois liberado Divulgação/Sesa Um policial militar, lotado no 4º Batalhão da Polícia Militar (BPM), foi atingido de raspão com um tiro na perna, durante uma perseguição na noite de terça-feira (16), no distrito da Fazendinha, em Macapá. De acordo com o comandante do 4º BPM, tenente-coronel Aldinei Almeida, a equipe perseguia quatro jovens em um carro de cor vermelha, quando o militar foi atingido. Os jovens identificados têm entre 18 e 19 anos. O grupo conseguiu fugir após balear o policial. O 4º BPM detalhou que o policial baleado foi levado para o Hospital de Emergência (HE) de Santana, onde recebeu atendimento, foi medicado e liberado pelo médico plantonista. O batalhão acrescentou que o militar não sofreu nenhum ferimento grave e está fora de perigo. A PM afirmou que vai continuar as buscas na área de pontes localizada na periferia de Fazendinha. O comando também garantiu que a polícia continuará com a "Operação Saturação" - que tem como proposta coibir crimes na região metropolitana -, e que vai trabalhar com a Polícia Civil para coletar informações sobre os suspeitos. Para ler mais notícias do estado, acesse o G1 Amapá.
    Suspeito de roubo e tráfico de drogas morre em troca de tiros com a PM, em periferia de Macapá

    Suspeito de roubo e tráfico de drogas morre em troca de tiros com a PM, em periferia de Macapá


    Polícia recebeu informação de que dupla estava ameaçando pessoas, na noite de terça-feira (16). Material apreendido com o jovem de 19 anos foi apresentado no Ciosp do bairro Pacoval, em Macapá Jorge Abreu/Arquivo G1 Um jovem, de 19 anos,...


    Polícia recebeu informação de que dupla estava ameaçando pessoas, na noite de terça-feira (16). Material apreendido com o jovem de 19 anos foi apresentado no Ciosp do bairro Pacoval, em Macapá Jorge Abreu/Arquivo G1 Um jovem, de 19 anos, suspeito de praticar roubo e tráfico de drogas, morreu durante uma troca de tiros com uma equipe da Polícia Militar (PM) do Amapá, na noite de terça-feira (16), em uma área de periferia no bairro Buritizal, na Zona Sul de Macapá. O Centro Integrado de Operações de Defesa Social (Ciodes), que registrou ocorrência por volta das 20h de terça-feira, na "ponte da miséria", na Av. Clodóvio Coelho, detalhou que recebeu denúncia de que dois homens estava em uma motocicleta, armados com revólveres, ameaçando pessoas e cometendo assaltos. Ao abordar a dupla, a PM afirmou que foi recebida com disparo de arma de fogo e que precisou intervir. Na intervenção, baleou Breno Vilhena Jaime da Silva, de 19 anos, que morreu em seguida. A motocicleta que ele estava tinha restrição de furto e roubo. Em pesquisa no sistema prisional, a PM detalhou que encontrou informações sobre o jovem, que respondia por crimes como roubo qualificado e tráfico de drogas. Ele estaria sendo procurado desde fevereiro, quando foi emitido mandado de prisão preventiva contra ele. A polícia informou ainda, segundo o Ciodes, que apreendeu com o jovem 20 papelotes de cocaína, duas balanças de precisão, várias embalagens plásticas, uma pistola, seis munições calibre ponto 40, além de um telefone e uma outra motocicleta. O material foi apresentado no Centro Integrado de Operações em Segurança Pública (Ciosp) do bairro Pacoval, na Zona Norte. Não foram divulgadas informações sobre o segundo suspeito denunciado na ocorrência. Para ler mais notícias do estado, acesse o G1 Amapá.
    Escola pública usa quadra como depósito e deixa 680 crianças sem atividades esportivas no AP

    Escola pública usa quadra como depósito e deixa 680 crianças sem atividades esportivas no AP


    Materiais que aguardam reparos ocupam quadra da Escola Municipal Amapá, em Macapá. Direção diz que local foi ocupado a pedido da Secretaria de Educação. Carteiras escolares ocupam quadra desportiva da Escola Municipal Amapá Ugor Feio/G1 O uso...


    Materiais que aguardam reparos ocupam quadra da Escola Municipal Amapá, em Macapá. Direção diz que local foi ocupado a pedido da Secretaria de Educação. Carteiras escolares ocupam quadra desportiva da Escola Municipal Amapá Ugor Feio/G1 O uso inadequado da quadra poliesportiva da Escola Municipal Amapá, na Zona Sul de Macapá, tem gerado de reclamações por parte de pais de alunos, a maioria crianças, que estudam do 1º ao 5º do ensino fundamental. A unidade atende 680 estudantes. As reclamações são que o lugar deixou de atender as atividades de educação física, e desde o início do ano letivo de 2019 tem sido usado como depósito de materiais deteriorados de outras escolas públicas, como carteiras, eletrônicos, centrais de ar-condicionado e geladeiras. A direção da escola explicou que o material está armazenado a pedido da Secretaria Municipal de Educação (Semed) e vem de outras escolas que estão passando por reforma e adaptação. "O material em melhor condição será doado para outras prefeituras, como Pracuúba e Mazagão. O que estiver mais deteriorado passará por reforma e será remanejado, mas a secretaria não nos passou prazos", explicou o diretor Mauro Borges. Mauro Borges, diretor da Escola Municipal Amapá Ugor Feio/G1 A Semed informou, por meio de nota, que está em processo de reorganização de algumas escolas do município e executando ações como a entrega de novos mobiliários, sendo necessária a retirada dos móveis antigos que deverão passar por reforma. "A secretaria necessitou utilizar a quadra para o armazenamento provisório e até o final do mês deve fazer a retirada do material, restabelecendo as atividades esportivas dos alunos na quadra. A reforma da escola está no cronograma da secretaria, que em breve, deve passar por revitalizações", diz trecho da nota. Mesmo com a justificativa, a depiladora Elizângela Vasconcelos, de 37 anos, frisa que sem a quadra, a filha e outros alunos ficam sem ter onde praticar as atividades esportivas. Ela ainda reclama ainda da falta de manutenção estrutural de toda a escola. "Está toda destruída. São portas quebradas, poças de água parada e falta de coleta de lixo. Agora sem a quadra é mais um problema que reflete diretamente na vida das crianças, o Poder Público precisa tomar uma atitude", frisou. Quadra gera reclamações de pais de alunos, por conta de poças de água parada e acúmulo de lixo Ugor Feio/G1 O diretor da escola detalha que há uma projeção para "reformas paliativas", que devem iniciar em 24 de abril. Mauro Borges reforça que o prédio da Escola Amapá, um dos mais antigos da capital, foi listado para o tombamento como patrimônio municipal. Em função da nova designação, o espaço passará por restauração ao invés de reforma, trabalho necessário para manter as características originais da construção, o que pode demandar um custo e um tempo de reparos ainda maior. "Próxima quinta começam os trabalhos paliativos de reforma, mas infelizmente a verba liberada não é suficiente. Nossa estrutura foi depredada devido a constantes arrombamentos. e tentamos fazer tudo dentro das nossas possibilidades", justificou Borges. Além da Escola Amapá, outras duas escolas da rede municipal foram listadas para o tombamento, em 2017, pelo Conselho de Patrimônio Cultural e Fundação Municipal de Cultura (Fumcult). Estão nessa lista também, o centro histórico de Macapá, o estádio Glicério Marques, a Igreja São José, a área de entorno do Poço do Mato, o prédio da Ordem dos Advogados do Brasil e o Largo dos Inocentes. Quadra da Escola Municipal Amapá é usada como depósito de materiais de outras escolas Ugor Feio/G1 Para ler mais notícias do estado, acesse o G1 Amapá.

    Adolescente de 16 anos morre após receber três tiros em ataque no interior do AP


    Disparos foram feitos por dois homens em moto, na noite de terça-feira (16). Um adolescente, de 16 anos, foi assassinado na noite de terça-feira (16), em Tartarugalzinho, município a 230 quilômetros de Macapá. Ele foi baleado com três tiros num...

    Disparos foram feitos por dois homens em moto, na noite de terça-feira (16). Um adolescente, de 16 anos, foi assassinado na noite de terça-feira (16), em Tartarugalzinho, município a 230 quilômetros de Macapá. Ele foi baleado com três tiros num ataque feito por dois homens em uma motocicleta, detalhou a polícia. O Centro Integrado de Operações de Defesa Social (Ciodes) registrou o homicídio por volta de 0h desta quarta-feira (17). Segundo a central, o crime aconteceu no “Ramal do Raul”, área rural do município. A polícia detalhou ao Ciodes que dois homens em uma moto dispararam contra Lucas Passos Campos. Os tiros acertaram a cabeça, as costas e o peito do adolescente, que morreu no local do ataque. Até 6h30 desta quarta-feira, nenhum suspeito de ter praticado o crime foi capturado. O corpo foi removido pela Polícia Técnico Científica (Politec), após a equipe periciar o local de morte violenta. Para ler mais notícias do estado, acesse o G1 Amapá.
    Cerca de 400 pacientes recebem gratuitamente aparelhos auditivos em Macapá

    Cerca de 400 pacientes recebem gratuitamente aparelhos auditivos em Macapá


    Distribuição foi feita pelo Centro de Reabilitação do Amapá (Creap). Cerca de 400 pacientes recebem aparelhos auditivos personalizados, em Macapá Ugor Feio/G1 O Centro de Reabilitação do Amapá (Creap) deu início nesta terça-feira (16) ao...


    Distribuição foi feita pelo Centro de Reabilitação do Amapá (Creap). Cerca de 400 pacientes recebem aparelhos auditivos personalizados, em Macapá Ugor Feio/G1 O Centro de Reabilitação do Amapá (Creap) deu início nesta terça-feira (16) ao Programa de Conservação Auditiva na sede do órgão, no Centro de Macapá. O projeto realiza, ao longo do ano, a distribuição de aparelhos auditivos para cerca de 400 pacientes em tratamento na unidade. A aquisição é oriunda de recursos do Ministério da Saúde, por meio do fundo de concessão de aparelhos auditivos. A entrega contou simbolicamente com a presença de 30 pacientes. Os demais serão convocados para receber o equipamento nos próximos dias. Amaury Bastos, diretor presidente do Creap e Thais Basto, coordenadora do Programa de Conservação Auditiva Ugor Feio/G1 O evento contou com coquetel de recepção e o diretor do Creap, Amaury Bastos, explicou que os equipamentos foram feitos nos moldes dos ouvidos de cada paciente. Também foi ensinado a cada usuário a melhor forma de como utilizar, armazenar e higienizar os aparelhos. "Cada paciente recebe um aparelho personalizado. Nenhum deles dá 100% de audição. A gente trabalha com resíduo auditivo de cada um, que além de receber o aparelho, recebe também palestras sobre as formas corretas de uso e manutenção", explicou. Cerca de 800 aparelhos auditivos personalizados foram distribuídos a pacientes do Creap Ugor Feio/G1 O aposentado Manoel Lima, de 69 anos, foi um dos usuários que recebeu os aparelhos. Ele conta que já faz acompanhamento terapêutico no centro há dois anos. "É uma satisfação muito grande poder ouvir novamente e ainda fazer acompanhamento com uma equipe com diversos tipos de profissionais. É gratificante, estou muito feliz de estar aqui hoje", contou. Manoel Lima, de 69 anos, foi um dos usuários que recebeu os aparelhos auditivos personalizados Ugor Feio/G1 Segundo a coordenadora do projeto, Thais Basto, o centro realiza não só a distribuição de aparelhos, mas também o acompanhamento, tratamento e encaminhamento de crianças e deficientes auditivos para procedimentos cirúrgicos na rede pública. "O paciente recebe o aparelho e uma semana depois tem um retorno e entra em terapia. Crianças de 0 a 3 anos ainda recebem encaminhamento para cirurgia. Atendemos pacientes de todas as idades, temos bebês e até um senhor de 105 anos", completou. Thais Basto palestra aos pacientes que receberam aparelhos auditivos Ugor Feio/G1 Para ler mais notícias do estado, acesse o G1 Amapá.
    Confira as vagas de emprego do Sine em Macapá para o dia 17 de abril

    Confira as vagas de emprego do Sine em Macapá para o dia 17 de abril


    Há oportunidades para funções como operador de caixa para pessoas com deficiência, confeiteiro, comprador, salgadeiros e outros. Sine oferece uma vaga para açougueiro Vitor Santana/G1 O Sistema Nacional de Emprego no Amapá (Sine-AP) oferece...


    Há oportunidades para funções como operador de caixa para pessoas com deficiência, confeiteiro, comprador, salgadeiros e outros. Sine oferece uma vaga para açougueiro Vitor Santana/G1 O Sistema Nacional de Emprego no Amapá (Sine-AP) oferece vagas de empregos para Macapá. O número de vagas está disponível de acordo com as empresas cadastradas no Sine e são para todos os níveis de escolaridade e experiência. Os interessados podem procurar o Sine/AP, localizado n Rua General Rondon, nº 2350, em frente à praça Floriano Peixoto. Em toda a rede Super Fácil tem guichês do Sine e neles é possível obter informações sobre vagas em Macapá e Santana. Outras informações e oferta de vagas são pelo número (96) 4009-9702. Para se cadastrar e atualizar os dados, o trabalhador deverá apresentar Carteira de Trabalho, RG, CPF e comprovante de residência (atualizado). Veja as vagas disponíveis de acordo com as solicitações das empresas: Açougueiro - 1 vaga Alinhador de rodas - 1 vaga Auxiliar administrativo - 1 vaga Confeiteiro - 1 vaga Comprador - 1 vaga Emendador de fibra ótica - 3 vagas Manicure - 1 vaga Salgadeiro - 1 vaga Telemarketing - 1 vaga Telemarketing digital - 1 vaga Vendedor pracista - 1 vaga Fiscal de caixa (para pessoas com deficiência) - 1 vaga Operador de caixa (para pessoas com deficiência) - 1 vaga Para ler mais notícias do estado, acesse o G1 Amapá.
    VÍDEOS: JAP2 de terça-feira, 16 de abril

    VÍDEOS: JAP2 de terça-feira, 16 de abril


    Assista aos vídeos do telejornal com as notícias do Amapá. Assista aos vídeos do telejornal com as notícias do...


    Assista aos vídeos do telejornal com as notícias do Amapá. Assista aos vídeos do telejornal com as notícias do Amapá.
    MPF no AP pede devolução de R$ 26 milhões e denuncia ex-gestores por fraudes em multas ambientais

    MPF no AP pede devolução de R$ 26 milhões e denuncia ex-gestores por fraudes em multas ambientais


    Ex-secretário de Desenvolvimento Rural e ex-diretor-presidente do Imap vão responder por crimes descobertos na operação Shoyu, deflagrada por PF e MPF. Esquema teria beneficiado produtores de soja com redução de multas Divulgação/Aprosoja O...


    Ex-secretário de Desenvolvimento Rural e ex-diretor-presidente do Imap vão responder por crimes descobertos na operação Shoyu, deflagrada por PF e MPF. Esquema teria beneficiado produtores de soja com redução de multas Divulgação/Aprosoja O ex-secretário de Desenvolvimento Rural, Daniel Sebben, e o ex-diretor-presidente do Instituto de Meio Ambiente e de Ordenamento Territorial do Amapá (Imap), Bertholdo Dewes, foram denunciados pelo Ministério Público Federal (MPF) em duas ações decorrentes da operação Shoyu, que investigou um esquema para redução de multas ambientais visando beneficiar produtores de soja no estado. Além dos ex-gestores, foram denunciados três ex-servidores do Imap, uma empresária e dois membros da Associação dos Produtores de Soja do Amapá. A Rede Amazônica tentou contato com Sebben e Dewes, mas não houve resposta até a última atualização desta reportagem. De acordo com o MPF, multas aplicadas pelo Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (Ibama), que variavam entre R$ 200 mil e R$ 1 milhão eram reduzidas pelo Imap a um valor único de 60 mil. Essa manobra, com anuência de Dewes, segundo a ação, beneficiava empresários da soja e rendia propina para envolvidos no esquema, entre eles Sebben, presidente da Associação dos Produtores de Soja na época. As ações pedem ainda a devolução de R$ 26,7 milhões, a título de reparação de danos causados aos cofres públicos e acusam o grupo de organização criminosa, advocacia administrativa, corrupção passiva e falsidade ideológica. MPF denuncia ex-secretário de estado e ex-diretor do Imap por esquema de favorecimento Esquema A investigação apontou que Bertholdo Dewes teria comandado uma organização criminosa dentro do Imap, e que “partiram dele determinações para que servidores do órgão simulassem autuações a produtores de soja por ausência de Autorização de Supressão Vegetal". O intuito era tornar sem efeito autos de infração anteriormente emitidos pelo Ibama pela mesma irregularidade. A investigação aponta ainda que foi realizada uma reunião na sede do Ibama em Brasília, em 2017, com uma comitiva do governo do Amapá e dois representantes do ramo da soja, para tratativas em torno de interesses dos empresários, como o desembargo das áreas. A atuação seria supostamente recompensada com financiamento de R$ 500 mil para a campanha de Bertholdo, que seria candidato nas Eleições 2018. Entretanto ele não concorreu no pleito. Para ler mais notícias do estado, acesse o G1 Amapá.
    Homem que pescava com o filho de 7 anos morre afogado em lago em Macapá

    Homem que pescava com o filho de 7 anos morre afogado em lago em Macapá


    Caso aconteceu no distrito do Coração. Circunstâncias da morte estão sendo apuradas. Lago próximo ao local onde Geraldo Gaia foi encontrado morto Reprodução/WhatsApp O Corpo de Bombeiros confirmou no fim da tarde desta terça-feira (16) a...


    Caso aconteceu no distrito do Coração. Circunstâncias da morte estão sendo apuradas. Lago próximo ao local onde Geraldo Gaia foi encontrado morto Reprodução/WhatsApp O Corpo de Bombeiros confirmou no fim da tarde desta terça-feira (16) a morte de um homem de 54 anos num lago artificial no distrito do Coração, na Zona Rural de Macapá. Identificado como Geraldo Vieira Gaia, ele estaria a passeio pescando no local com o filho de 7 anos. A corporação não detalhou até o momento as circunstâncias que levaram à morte de Geraldo e nem se a criança sofreu algum ferimento. Uma equipe foi acionada por populares para atender a ocorrência no lago, mas quando chegou já encontrou a vítima sem vida. A Polícia Técnico-Científica (Politec) fez a remoção do corpo e para apurar a causa da morte no local, que fica dentro de um residencial. Para ler mais notícias do estado, acesse o G1 Amapá.
    Homem é baleado em ponto de ônibus na Zona Norte de Macapá; criminosos fugiram de moto

    Homem é baleado em ponto de ônibus na Zona Norte de Macapá; criminosos fugiram de moto


    Crime aconteceu na tarde desta terça-feira (16) ao lado de escola pública. Jovem baleado em ponto de ônibus por dupla em moto é socorrido por agentes do Samu Reprodução Um homem que não teve a identidade divulgada foi baleado por uma dupla de...


    Crime aconteceu na tarde desta terça-feira (16) ao lado de escola pública. Jovem baleado em ponto de ônibus por dupla em moto é socorrido por agentes do Samu Reprodução Um homem que não teve a identidade divulgada foi baleado por uma dupla de moto na tarde desta terça-feira (16) no bairro Brasil Novo, Zona Norte de Macapá. O estado de saúde não foi informado, mas ele foi levado consciente de ambulância para o Hospital de Emergência (HE). Segundo informações preliminares da Polícia Militar (PM), o Serviço Móvel de Atendimento de Urgência (Samu) prestou os primeiros socorros ao homem, que estava num ponto de ônibus ao lado da Escola Estadual Maria Cavalcante de Azevedo Picanço. O crime aconteceu por volta das 17h na Rua Manga Rosa. O rapaz estaria esperando um ônibus quando foi alvejado. Em seguida, os atiradores fugiram rapidamente e nenhum deles foi identificado ou preso. Até a última atualização desta reportagem, não foi informado o número de tiros, a idade ou estado de saúde do homem. A polícia busca imagens da câmeras de seguranças da escola para tentar identificar os autores e o motivo do atentado. Para ler mais notícias do estado, acesse o G1 Amapá.
    Adolescente é detida suspeita de integrar grupo que comprava na web usando falsos depósitos

    Adolescente é detida suspeita de integrar grupo que comprava na web usando falsos depósitos


    Detida recebia os produtos das vítimas. Negociação era feita por detento que tinha perfil falso em site de compra e venda. Suspeita de estelionato foi entregue na Delegacia Jéssica Alves/G1 Uma adolescente de 15 anos foi apreendida na tarde desta...


    Detida recebia os produtos das vítimas. Negociação era feita por detento que tinha perfil falso em site de compra e venda. Suspeita de estelionato foi entregue na Delegacia Jéssica Alves/G1 Uma adolescente de 15 anos foi apreendida na tarde desta terça-feira (16), em Macapá, suspeita de integrar um grupo de estelionatários que usava uma plataforma de compra e venda online para comprar mercadorias mediante falsos depósitos bancários. A apreensão foi feita em flagrante por uma equipe do 6º Batalhão da Polícia Militar (PM) no momento em que a suspeita receberia um celular de uma vítima. Ela foi entregue na Delegacia de Investigação de Atos Infracionais (Deiai). O tenente Carlos Morais, do 6º BPM, explicou que a adolescente buscava os produtos das vítimas a mando de um detento do Instituto de Administração Penitenciária (Iapen). Os itens comprados eram variados, desde celulares, um motor de barco e um gerador de energia. O presidiário tinha um perfil falso no site de compra e venda e usava a identidade de um sargento da PM para dar credibilidade ao negócio. Ele negociava pela plataforma online e enviava aos vendedores um comprovante falso de depósito bancário. "Ele tinha várias fotos do PM no perfil e tinha até filmagem dos cachorros do sargento, mas ele tinha retirado de rede social. O policial é bem conhecido e isso favoreceu com que o preso conseguisse convencer e negociar com as vítimas", explicou Moraes. Carlos Moraes, tenente do 6° batalhão de Polícia Militar Rede Amazônica/Reprodução A adolescente presa contou aos policiais que recebia os produtos e encaminhava a outras pessoas ordenadas pelo detento. Ela relatou ainda à PM que seria amiga do presidiário. "Após a prisão, confessou que fazia parte do esquema e que só recebia o material e ganhava um valor em troca. Ela diz que eles são amigos, mas ela tem outros contatos do Iapen no telefone dela. A moça é usuária de drogas, achamos fotos dela usando drogas e ingerindo bebidas alcoólicas", detalhou o militar. A apreensão aconteceu após o policial que teve a imagem usada indevidamente ser alertado por uma vítima. O flagrante da entrega do celular foi feito em frente ao ginásio Avertino Ramos. Pelo menos cinco vitimas relataram o mesmo golpe no 6º BPM e foram orientadas a registrar ocorrência na delegacia da capital. O tenente Carlos Morais alerta sobre os perigos de vendas virtuais e acrescenta sobre cuidados que podem evitar prejuízos. "Recomendamos que quem faça transações em redes sociais nunca entregue o produto só mediante da apresentação do comprovante de depósito. É muito importante saber se o documento realmente caiu na conta. Em qualquer dúvida fazer B.O. ou ligar 190", alertou. Grupo usa plataforma de compra e venda online para praticar golpes John Pacheco/G1 Para ler mais notícias do estado, acesse o G1 Amapá.
    Mais de 40 internos fugiram do Cesein em menos de quatro meses, diz sindicato

    Mais de 40 internos fugiram do Cesein em menos de quatro meses, diz sindicato


    Última fuga aconteceu há dois dias. Fcria reconhece problemas e prevê reforma. Ao todo, 42 menores de idade conseguiram fugir do Cesein de Macapá, entre janeiro e a primeira quinzena de abril Divulgação/GEA Entre janeiro e segunda-feira (15), o...


    Última fuga aconteceu há dois dias. Fcria reconhece problemas e prevê reforma. Ao todo, 42 menores de idade conseguiram fugir do Cesein de Macapá, entre janeiro e a primeira quinzena de abril Divulgação/GEA Entre janeiro e segunda-feira (15), o Centro de Medida Socioeducativa de Internação Masculina (Cesein) de Macapá, localizado na Zona Sul da capital, já registrou a fuga de 42 internos, aponta o Sindicato do Grupo Socioeducativo e de Proteção (Singsep) no Amapá. A última fuga aconteceu no domingo (14), quando três internos pularam o muro do Cesein em direção ao conjunto residencial Mucajá, que fica ao lado do prédio. Para Jackson Rubens, presidente do Singsep, há uma série de motivos para o aumento das fugas: falta de manutenção no prédio, falta de segurança dos servidores que trabalham direto com os internos, diminuição do contingente do policiamento e não ocupação das guaritas. "Nós não temos como nos proteger. Diminuíram de seis para dois policiais no prédio, fazendo com que as quatro guaritas do prédio não sejam ocupadas rotineiramente. Somando isso, há a falta de manutenção do espaço, o mato alto e pouca iluminação, que facilitam a fuga dos internos", contextualizou. Jackson Rubens, presidente do Singsep Carlos Alberto Jr/G1 A titular da Fundação da Criança e do Adolescente (Fcria), Natália Façanha, informou ter conhecimento dos problemas estruturais do prédio e que já há uma reforma prevista para daqui a quatro meses em um dos blocos do Cesein. Ela disse que também há uma obra de intervenção geral no prédio, mas para esta não há data para iniciar. Sobre a falta de efetivo policial, Natália informou que também já há um diálogo com a Polícia Militar (PM) para que o espaço volte a ter seis oficiais fazendo a segurança do prédio, mas ainda não há um prazo estipulado para isso. Com a falta de policiamento adequado e manutenção do centro, drogas e estoques (facas improvisadas) feitos com vergalhões do próprio prédio são constantemente encontrados nas celas pelos agentes do local. Estoques e serras usadas para fugas Singsep/Divulgação Os agentes também relatam o medo até mesmo fora do centro. Um funcionário, que não quis se identificar, falou que já foi ameaçado enquanto estava em uma praça. "Até mesmo em um local público e movimentado a gente [servidores do Cesein] sente medo. Esse tipo de situação poderia ser diferente se tivéssemos uma infraestrutura melhor para focar nosso trabalho na real função do centro, que é reeducação dos jovens", desabafou. Assim como na última fuga, o destino de muitos é o conjunto residencial Mucajá. De acordo com o Singsep, alguns garotos capturados estavam escondidos no residencial. Este ano, das 42 fugas, 13 foram recapturados. O sindicato informou não ter os números relativos ao mesmo período do ano anterior para fazer um comparativo. Muro do Cesein fica ao lado do Conjunto Mucajá, na Zona Sul de Macapá Carlos Alberto Jr/G1 Para ler mais notícias do estado, acesse o G1 Amapá.
    Justiça do AP mantém liminar que retoma passe livre intermunicipal a doadores de sangue

    Justiça do AP mantém liminar que retoma passe livre intermunicipal a doadores de sangue


    Benefício havia sido suspenso em 2017, mas voltou a ser ofertado para o trecho Macapá-Santana. Setap informou que não vai recorrer, mas pedirá maior fiscalização para evitar fraudes. Gratuidade para doadores de sangue é mantida para o trecho...


    Benefício havia sido suspenso em 2017, mas voltou a ser ofertado para o trecho Macapá-Santana. Setap informou que não vai recorrer, mas pedirá maior fiscalização para evitar fraudes. Gratuidade para doadores de sangue é mantida para o trecho Macapá-Santana John Pacheco/G1 A juíza Liége Cristina Gomes, da 1ª Vara Cível e de Fazenda Pública de Macapá, do Tribunal de Justiça do Amapá (Tjap), decidiu manter liminar concedida em março de 2018, que determinava o restabelecimento do passe livre intermunicipal, entre a capital e Santana, para os doadores de sangue. O benefício havia sido suspenso em outubro de 2017. O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros no Estado do Amapá (Setap) declarou nesta terça-feira (16) que, desde que foi concedida a liminar, o benefício foi reativado – mesmo que o sindicato não concordasse com a decisão, por falta de indicação da fonte de custeio da compensação do passe. Segundo o Setap, atualmente são 13 mil doadores de sangue que têm direito ao benefício, mas apenas 2 mil pessoas solicitaram à instituição o passe livre entre Macapá e Santana. Na época que foi suspenso, o Setap alegou que o passe livre estava sendo usado irregularmente por usuários, em outros trechos e datas que não fosse para doar sangue, mas para atividades diárias. A instituição declarou ainda que não vai recorrer da decisão judicial, mas que vai cobrar maior rigor nas fiscalizações para que sejam evitadas fraudes, como o uso do benefício por outra pessoa. Doadores de sangue têm direito a gratuidade no transporte público no Amapá, desde 2004 Jéssica Alves/Arquivo G1 A ação foi ajuizada em fevereiro de 2018 pelo Ministério Público do Estado do Amapá (MPE), que pediu o retorno do passe livre para doadores de sangue, no trajeto entre Macapá e Santana. O MPE reforçou que conceder benefício do passe livre intermunicipal aos doadores de sangue faz parte da lei estadual nº 824, de 2004. Na ação, o ministério detalhou reclamações de usuários contra decisão unilateral do Setap de suspender a concessão da gratuidade. Como tutela antecipada de urgência, concedida em 2018, a Justiça definiu que o benefício deve ser restabelecido em até 48 horas, sob penas de multas diárias de R$ 100 mil, por não retornar com o serviço, e R$ 2 mil por cada doador prejudicado. A nova decisão judicial foi emitida na segunda-feira (15), após oitivas com o Setap. Ao longo do processo, o sindicato detalhava que suspendeu a emissão e renovação em relação ao “metropolitano” (Macapá-Santana), mas que mantinha o benefício para outros municípios. “A citada Lei não faz distinção entre transporte intermunicipal e transporte metropolitano. E ainda, ressalto que o trajeto Macapá-Santana é intermunicipal, pois se tratam de municípios limítrofes dentro de um mesmo Estado”, escreveu a juíza Liége. “Não pode persistir o ato praticado pelo requerido, pois sua manutenção tende a gerar prejuízos que fogem à órbita econômica, pois se trata de incentivo do legislador para que as pessoas iniciem ou continuem realizando a doação de sangue, objetivando preservar a vida das pessoas que necessitam da doação. Pelo exposto, confirmo na integralidade a medida liminar concedida”, acrescentou a juíza. Para ler mais notícias do estado, acesse o G1 Amapá.
    VÍDEOS: JAP1 de terça-feira, 16 de abril

    VÍDEOS: JAP1 de terça-feira, 16 de abril


    Assista aos vídeos do telejornal com as notícias do Amapá. Assista aos vídeos do telejornal com as notícias do...


    Assista aos vídeos do telejornal com as notícias do Amapá. Assista aos vídeos do telejornal com as notícias do Amapá.
    Professores paralisam aulas por salários atrasados, falta de merenda e material didático no AP

    Professores paralisam aulas por salários atrasados, falta de merenda e material didático no AP


    Prefeitura de Calçoene reconhece problemas e declarou que salário deve ser quitado até 26 de abril. Professores durante caminhada de protesto contra situação da educação em Calçoene, no AP Élido Farias/Arquivo Pessoal Cerca de 100 professores...


    Prefeitura de Calçoene reconhece problemas e declarou que salário deve ser quitado até 26 de abril. Professores durante caminhada de protesto contra situação da educação em Calçoene, no AP Élido Farias/Arquivo Pessoal Cerca de 100 professores da rede municipal de ensino de Calçoene, a 374 quilômetros de Macapá, estão com as atividades paralisadas desde segunda-feira (15). Salários atrasados desde fevereiro e falta de merenda, de materiais didáticos e de limpeza foram o que motivou o ato. Em nota ao G1, a prefeitura de Calçoene reconheceu os problemas relatados pelos professores, inclusive confirmando que os salários não são repassados a nenhum servidor desde o dia 22 de fevereiro. O problema tem relação com a prisão do prefeito da cidade, Jones Cavalcante (PPS), que ocorreu em 9 de março, durante investigação por fraudes em licitações. Segundo a prefeitura, o processo de transição de gestão para o prefeito interino, Julio César Buscarons (MDB), presidente da Câmara de Vereadores, ocasionou os atrasos. A vice-prefeita, Ângela Avelar (Rede), renunciou ao cargo em fevereiro. "Sobre falta de materiais nas escolas, a prefeitura justifica que as senhas da contas das secretarias que têm fundo ainda não foram formalizadas junto ao correspondente bancário, o que deve acontecer até a próxima semana. Com relação ao atraso de salários, no dia 26 de abril os pagamentos referentes ao mês de março devem ser quitados e os deste mês vão ser pagos normalmente no dia 30", informou a nota. Professoras mostram faixa de protesto durante caminhada em Calçoene Élido Farias/Arquivo Pessoal A paralisação da classe continua até quarta-feira (17), como informou Élido Farias, presidente da executiva municipal do Sindicato dos Servidores Públicos em Educação no Amapá (Sinsepeap) em Calçoene. Farias acrescentou que a categoria já havia tentado acordos com a prefeitura, que alegou falta de acesso aos recursos financeiros. "Na segunda-feira [22], nós retornaremos à sala de aula e, se o problema continuar, iremos fazer uma nova mobilização, encaminhar documentação ao Ministério Público, ao gestor do município e todas autoridades competentes para que a gente possa solucionar esses problemas", afirmou Farias. Ainda de acordo com o presidente, quem mais sofre com a situação são os estudantes, que ficam ser ter a oportunidade de receber um ensino público de qualidade. "Não tem merenda nem nas creches, nem nas escolas. Quando o aluno chega, o professor tem que liberar ele mais cedo por causa disso. Só que na carga horária fica como se ele tivesse assistido tudo completo. Essa aula que ele perdeu não vai ter reposição. Quem está perdendo com tudo isso é a criança", declarou o presidente do sindicato. Durante a paralisação, os professores estão promovendo passeatas na cidade, no sentido de mobilizar a população para a causa. O ato não chegou a suspender aulas em todas as escolas do município. De acordo com o sindicato, alguns professores preferiram não participar da manifestação. Manifestação segue até quarta-feira (17) Élido Farias/Arquivo Pessoal Para ler mais notícias do estado, acesse o G1 Amapá.